domingo, 21 de maio de 2017

Continue a nadar

Faz tempo que eu tenho tentado lutar somente com as armas que possuo. A decisão veio após um longo período brigando para conseguir o que queria, sem que a vida me atendesse. Não que eu tenha desistido. Mas cansei de esperar as melhores condições para, somente então, viver bem. 

São pequenas atitudes que, pouco a pouco, têm mudado o meu dia a dia e o meu modo de encarar as minhas verdades:

Queria/precisava fazer uma atividade física, mas meu bairro não oferece uma boa academia, somente uma escola de futebol com aulas de natação. Adoro nadar, mas a piscina não era lá muito grande. Comecei assim mesmo e, em pouco tempo, senti os benefícios: mais resistência, sono de melhor qualidade, menos estresse, bunda mais dura, muito prazer em nadar, etc... hoje em dia já nem penso na estrutura da escola e no tamanho da piscina, apenas recupero o fôlego e continuo a nadar.

Queria me mudar de casa, mas não tinha condições de assumir tal compromisso. Então, pouco a pouco, me organizei e comprei uma cama maior, encomendei móveis sob medida, decorei as paredes e comprei uma boa tv. Tudo para ficar mais confortável onde eu já estava. Quando chegar a hora de ter uma casa nova, o quarto já está pronto. É um começo. Enquanto esse dia não chega, eu vou aprendendo a me sentir confortável onde estou.

Essa mesma casa, além de móveis, também vai precisar de eletrodomésticos e eu resolvi começar por uma máquina de lavar. Depois ganhei um aspirador de pó e ambos já se encontram em plena atividade. O próximo investimento será um mixer potente. O critério? Apenas o meu bem estar imediato. Como, por exemplo, poder preparar novas receitas com os devidos instrumentos.

Uma coisa que me incomodava era ser desorganizada com as despesas. Gastando com o supérfluo e não tendo dinheiro para o que queria realmente fazer.  Comecei então a poupar antes de gastar: assim que recebia o salário, passei a dedicar um percentual à poupança (que depois se transformou em uma aplicação) e só depois de depositar essa quantia, que eu fingia não existir mais, eu poderia pagar as contas e fazer compras. Deu certo. A grana guardada me deu segurança pra continuar planejando. Com isso, consegui trocar equipamentos já obsoletos, realizar viagens que há muito sonhava, fazer cursos que me interessavam e ter uma calma maior ao pensar no futuro.


Cachoeira do Formiga, Jalapão, 2016.

Por enquanto, foi o que deu pra fazer sem esperar que grandes reviravoltas me salvassem da vida que não quero ter. Ainda não tenho a vida que gostaria, mas hoje (bem mais do que antes, quando só me lamentava desanimada e bem distante das minhas metas) percebo que estou na direção certa e que não adianta de nada querer que tudo aconteça ao mesmo tempo e agora.

Uma frase que sempre me inspirou nessa construção foi essa: 

Fai vedere al tuo sogno che veramente ci tieni a incontrarlo, senza pretendere che lui faccia tutta la strada da solo per arrivare fino a te, poi le cose accadono. I sogni hanno bisogno di sapere che siamo coraggiosi.
Fabio Volo

Mostre ao seu sonho que você realmente se importa em encontrá-lo, sem esperar que ele faça todo o caminho sozinho para chegar até você, depois as coisas acontecem. Os sonhos precisam saber que somos corajosos.

2 comentários:

  1. Texto perfeito e verdadeiro e quem sabe inspirar outros jovens a se direcionar na vida, parabéns!

    ResponderExcluir