sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Detesto

Tem certas coisas que eu me recuso a gostar. Por mais que todo mundo goste ou aconselhe, são coisas pelas quais eu já desenvolvi uma espécie de pré-conceito. Aqui vão apenas alguns exemplos:
Gostaria de ressaltar que fazem parte apenas da minha opinião. Cada um tem seu gosto e essa é a minha listinha de coisas que não gosto na moda, e você tem todo direito de discordar dela.


  
Victoria Beckham: Não sei pra vocês, mas pra mim Victória é sinônimo de tudo de mais artificial que uma mulher pode representar. Sempre magérrima, com os peitos empinados, bronzeado artificial, cabelos chapados e descoloridos... Não, não... é muita informação em uma só pessoa. Sem falar na imagem antipática e fútil que ela passa. 

Nude: Tendências geralmente não me conquistam, mas essa, na minha opinião, é uma das mais sem graças. Preciso de côr, pois nude já é a côr da minha pele amarela, desbotada e transparente. Preciso de contraste e destaque. Quer coisa mais sem graça do que me camuflar no nude? 

Barbie: Nada contra a boneca, tadinha. O que me irrita é o padrão de beleza americano que ela impõe às crianças, como se só as magras, loiras, peitudas, de olhos azuis e namoradas de um bonitão como o Ken fossem felizes. Tsc tsc... Desculpa, Barbie, mas minha vida pode ser muito mais legal que isso. 

Bolsas logadas: Eu talvez esteja no inferno da busca pela notoriedade e ostentação. Em Milão todos passeam com suas bolsas logadas como se fosse perfeitamente normal pagar 3 mil euros em um objeto de marca e como se no mundo não houvesse nada de mais importante a que destinar o meu suado dinheirinho. Mas eu não quero saber se a bolsa é Prada, Vuitton ou Fendi, eu só preciso que ela seja bonita. E não estou disposta a fazer publicidade gratuita por aí. 

Ser identificada: Talvez a minha mente de terceiro mundo já tenha adquirido tantas neuroses que, inconscientemente, não consigo admitir a idéia de que todos saibam como me chamo através da correntinha que estou usando. Ou talvez eu só não goste dessa moda porque, de repente, todo mundo passou a aderir. 

Coisas que todo mundo tem: Moda pra mim é diferenciar-se na massa. É fazer transparecer um pouco da minha personalidade sem precisar utilizar outras formas da comunicação, se passo a usar o que todos usam no momento, perde todo o sentido escolher o que visto.