segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

[Foto que conta história] #5: Istambul


A [Foto que conta história] de hoje foi feita em janeiro de 2011, na minha primeira noite em Istambul, na Turquia. Lembro-me de estar exausta por ter caminhado o dia todo, apertada para fazer xixi e completamente faminta, mas a beleza do centro historico da cidade nao me deixava voltar ao hotel. Ao entardecer, quando me deparei com essas cores do inverno europeu em meio às mesquistas, nao pude fazer nada além de parar por ali mesmo e simplesmente admirar sua beleza. Desde entao, sou completamente apaixonada por essa cidade!

Mais alguém ja teve a oportunidade de conhece-la? O que achou?

Para ler todos os posts sobre Istambul, clique aqui.

domingo, 28 de dezembro de 2014

Dica gordinha em BH: Dorival Bar & Parrilla

Essa semana foi a vez de avaliar o Dorival Bar & Parrilla, no Vila da Serra. Era um domingo, em horário de almoço, e a casa estava bem cheia. Apesar disso, o atendimento não deixou a desejar.

Localização e ambiente
O restaurante está localizado em Nova Lima, na saída sul de Belo Horizonte, próximo ao BH Shopping, e a atmosfera do local é bem agradável. No cardápio, encontram-se vários tipos de carne e ampla carta de cervejas.


As porções, no geral, são bem servidas e minhas escolhas foram essas:

Caponata 
Porção de quatro unidades de torrada tipo bruschetta com beringela, abobrinha e carne, muito saborosa!

Risotto Consuelo
Risoto feito de açafrão, alho poró e pétalas de presunto serrano espanhol - R$ 25

Gran Vacio Angus
950 gramas de Fraldinha que servem até quatro pessoas - R$ 118

Mandioca Vale do Sereno
Mandioca na manteiga com cebolinha e alho crocante - R$ 19

Cerveja Peripécia
Cerveja produzida pela casa, encorpada, feita com diversos cereais e muito gostosa. 600ml - R$ 29

Empanada Dorival e Consuelo
Todas as vezes que fui ao Dorival, pedi essa mesma sobremesa, que é muito gostosa!
Empanada doce com goiabada e sorvete de queijo - R$ 15

Também experimentei o Cheescake de frutas vermelhas do meu irmão, delicia! - R$ 15

Preços:
No geral, os preços são salgados, um café a R$ 5?! Preferi não tomar. O preço da Fraldinha também é exagerado, mesmo sendo bem servida e muito gostosa. Dentre as minhas escolhas, o preço mais honesto com certeza foi o do risoto: delicioso e com preço justo! Aconselho!
Mais alguém já esteve por lá? O que achou? Deixa as dicas nos comentários!

Vai lá:
Endereço: Alameda da Serra, 841 - Vila da Serra, Nova Lima - MG, 34000-000
Telefone: (31) 3643-4311

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Meu look: Feriado emendado


Quem mais ai está emendando o feriado e aproveitando a preguiça como se fosse domingo? (Mas ainda é sexta, gente!) Depois de toda a comilança do Natal, tudo corre em camera lenta no dia de hoje. Ideal para bater perna por ai e curtir o verão, que está apenas começando! 





 

 


Blusa: Kodifik
Short: H&M
Bolsa: Orobianco
Sapatilhas: Jey

E a sua programação de hoje, como vai?

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Feliz Natal!


Desejo que vocês tenham um Natal com muita saúde e amor e possam celebrar essa festa junto àqueles que amam! Feliz Natal, gente!

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

DIY: guirlanda de Natal

As festas de fim de ano vem chegando e aquela vontade de decorar a casa também. Por aqui, mamãe resolveu inovar, com uma ideia reciclável, criativa e super facil de fazer! Essa guirlanda de Natal é feita com rolinhos de papel higiênico e num instantinho fica pronta. Vem ver!

Você vai precisar de:
- De 10 a 20 rolinhos de papel higiênico (dependendo do tamanho que você quiser a sua guirlanda);
- Um laço, bolas e enfeites de Natal
- Tinta spray (aqui foi usada a dourada);
- Tesoura:
- Cola.

Mode de fazer:
- Corte os rolinhos de papel higiênico em tiras;
- Espere secar e cole-os formando um circulo;
- Pinte-os com a tinta spray;
- Acrescente os enfeites.

Simples assim!
Achei a ideia ideal para quem mora sozinho, mas nao quer deixar o Natal passar em branco ou mesmo para quem quer simplesmente enfeitar a casa sem gastar muito. E vocês, o que acharam? Ja enfeitaram a casa pras festas de fim de ano?

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

“Quero ser Correspondente Kipling” - Kipling Shoes Spring 15


O que fazer quando uma marca que faz parte da sua vida desde a infância lança um concurso tão legal como o  Correspondente Kipling? O mínimo que eu poderia fazer é participar, claro!

Para isso, fui até o Diamond Mall aqui em BH para conferir (e fotografar) a nova coleção da marca. Trata-se da Fun and Fresh, que apresenta calçados confortáveis leves e em padronagens coloridas e estampadas. São a cara da marca: divertidos, despojados e realmente muito cômodos. Combinam com tudo e acompanham as principais tendências dessa temporada. Mas vem comigo ver melhor do que estamos falando:




Sneaker Joy
A coleção Sneaker Joy tem dois sneakers de modelo slip on. O primeiro deles é o Joy. Feito de algodão, fofinho, macio e um amor!  Na frente, conta com um botton de macaquinho e, em volta, um filete na cor rosa, bem charmoso! Disponível nas cores Spicy Orange, Skylit Blue, e nas estampas Flower Blue e Dot Pink (a pois rosa e branco).



Sneaker Joice
Esse slip on é o Joice, em camurça vazada com o elástico na mesma cor. Estiloso e muito elegante, disponível em cores neutras e filete constrastante em rosa bem delicado. As cores vão com tudo: Black, Imperial Blue e Caffe Latte.



Sneaker Kate

O Sneaker Kate é o meu preferido! Bem carinha de escola, com cadarço! Feito de algodão, com cadarço na mesma cor, é super confortável e tem forro de estampa florida estilo liberty. Pra dar aquele toque ainda mais fofo, possui um pequeno botton metalizado de macaquinho. Disponível nas cores Island Green, Black, Skylit Blue, Strawberry Ice e estampado Flower Blue (florido pequenininho estilo liberty).




Ballerina Ella
A Ballerina Ella é ideal para alegrar qualquer look pois suas cores são super alegres: Spicy Orange, Island Green e Blazing Yellow. Vem com medalhão de macaquinho dourado na frente e possui elástico para se encaixar melhor nos pés.


Ballerina Karly 
A Ballerina Karly é um clássico das sapatilhas, disponível em cores neutras e elegantes que complementam qualquer look! É feita em camurça vazada, tem um laço caramelo na frente com a pontinha de metal. As cores são o Skylit Blue, Dune Beige, Black e Spicy Orange.



Ballerina Stacy
A Ballerina Stacy é super delicada! O seu grande charme é o lacinho caramelo com medalhinha de macaco dourado na frente, que é um amor! As cores disponíveis são: Spicy Orange, Blazing Yellow, Island Green e as estampadas Flower Blue e Dot Pink.





Gostaria de agradecer às vendedoras da loja Kipling do Diamond Mall aqui de Belo Horizonte que me receberam super bem e me apresentaram a coleção! Em especial à Bruna que, além de tudo, ainda foi minha fotógrafa! Um beijo, meninas, e muito obrigada!

[Foto que conta história] #4: Viena

Minha [Foto que conta história] de hoje tem gostinho de sonho realizado após muuuito tempo de espera. Ela foi feita em 2012, em um fim de tarde em Viena, primeira etapa do meu mochilão pelo Leste Europeu de trem. Eu sonhava em conhecer a cidade desde que vi Antes do Amanhecer pela primeira vez e não via a hora de poder conferir ao vivo todo aquele romantismo austríaco. Violinistas, carruagens e casais apaixonados em cada esquina. Um verão inesquecível, como aquele de Jesse e Celine. Luzes e atmosferas indescritíveis, que nenhuma fotografia, infelizmente, é capaz de retratar em sua totalidade. Entendi porque o Leste é o destino de tantos casais em lua de mel e cenário para filmes que nos marcam por toda a vida.


domingo, 14 de dezembro de 2014

Dica gordinha em BH: Olegario Pizza e Forneria - Savassi


Essa semana foi a vez de conhecer a Olegario Pizza e Forneria, na Savassi. Era uma sexta-feira e a casa estava lotada. Tivemos que esperar um pouco na recepção do hotel (a pizzaria ocupa um espaço anexo ao hotel BH Pancetti) até que vagasse uma mesa e, depois que chegamos, uma grande fila se formou do lado de fora.

Talvez por isso, o atendimento não tenha sido dos melhores. Fomos esquecidos pelos garçons várias vezes (e isso não é legal nunca, mas quando se está faminto, após uma longa semana de muito trabalho, é menos ainda). Mas, para nossa sorte, as pizzas eram muito boas. Pedimos quatro sabores diferentes: Estrada Real (carne seca com catupiry), Camarão, Carbonara e Margherita.

Adoro experimentar esses sabores tipicamente brasileiros como Carne Seca com Catupiry e até Carbonara, que é um tipo de molho italiano para massa, mas na Itália nao é usado na pizza (ao menos, nesses cinco anos, eu nunca vi). E tenho que dizer que, realmente, é muito boa! No final, já estávamos nos servindo sozinhos, devido ao sumiço dos garçons. Mas o importante é que estava mesmo gostoso e o papo era bom!

Localização e ambiente:
A pizzaria está localizada em uma área central da cidade e a atmosfera do local é bem agradável. No cardápio encontram-se, além das pizzas assadas em forno a lenha, também pratos à la carte, almoço executivo e ampla carta de vinhos.

Preços:
Os preços não são os mais camaradas da cidade e sei que estou muito mal acostumada a comer pizza realmente muito boa por poucos euros, mas eu esperava mais, sobretudo porque a casa se propõe como um restaurante de excelência e alto padrão de qualidade. A pizza Estrada Real (carne seca com catupiry, a grande, com seis fatias), por exemplo, sai por R$ 47,40. E pelo atendimento recebido,  tá caro, muito caro!

Vai lá: 
Endereço: Rua Pernambuco, 1041, Savassi- BH/MG 30160-042
Contato e Delivery: (31) 3261-1552
Funcionamento: Todos os dias, a partir de 17:30 até o último cliente | Sábado de 12:00 a 01:00 | Domingo de 12:00 às 18:00.

sábado, 13 de dezembro de 2014

Meu look: Orobianco bag e calor em BH


A cada vez que retorno à BH, fico com vontade de fazer turismo, como se fosse a minha primeira vez aqui. Rever praças, museus e monumentos que sempre fizeram parte dos meus dias, mas que, de alguma maneira, agora vejo de modo diferente. Depois de cinco anos na Itália, Belo Horizonte parece mais colorida do que nunca. Com o clima mais perfeito do universo: calor, seco, vivível e quase estável, se nao fossem pelas tempestades tropicais típicas desse período.  
As tardes parecem feitas exatamente para esquecer-se que se está em meio ao caos de uma grande cidade de cinco milhões de habitantes e me levam sempre à alguma praça para assistir o sol que desce devagar em meio aos montes.


Para esse dia de sol escolhi um look leve e confortável com a bolsa Orobianco, que tem me acompanhado onde quer que eu vá. Sua capacidade realmente me conquistou! Além da cor e do material resistente.  








 

Ogni volta che torno alla mia città mi viene voglia di far turismo come se fosse la mia prima volta qua: rivedere piazze, musei e monumenti che hanno sempre fatto parte delle mie giornate ma che in qualche modo vedevo in maniera diversa. Dopo cinque anni in Italia, Belo Horizonte mi sembra più colorata che mai. Con il clima più perfetto dell'universo. caldo, secco, vivibile e quasi stabile, se non ci fossero le tempeste tropicali tipiche da questo periodo. I pomeriggi sembrano fatti apposta per scordarmi che sono in mezzo al caos di una città da 5 milioni di abitanti e mi portano sempre da qualche piazza per assistere il sole che scende piano piano in mezzo ai monti. 
Per questa passeggiata ho scelto di indossare un outfit leggero e comodo con la borsa Orobianco che ormai mi segue ovunque vada. La sua capienza mi ha conquistato! Ma anche il suo colore bordo e il suo materiale resistente.

Camisa, saia e sapatilhas: Jey
Bolsa: Orobianco

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Morrendo de amores: trailer de “O Pequeno Príncipe”


O trailer de “O Pequeno Príncipe” foi divulgado ontem pela Paramount Pictures da França,  e eu já não vejo a hora de poder assistir! (Sim, sou mais uma das inúmeras fans do princepizinho e da obra de Antoine Saint-Exupéry). O video mostra as primeiras imagens da adaptação para os cinemas do clássico infantil (embora eu nunca tenha considerado o livro como realmente infantil. A cada vez que leio me pergunto se uma criança entenderia tantas lições de vida ali presentes).


Além de tudo já ser suficientemente lindo (porque se trata do Pequeno Príncipe e porque se trata de animação - duas coisas que amo!), tem mais algumas curiosidades que gostei muito de saber: uma delas é que a dublagem da raposa é feita pelo James Franco (suspiros) e outra é que a trilha tem Lily Allen, que canta “Somewhere Only We Know”, do Keane. No mais, ainda tem muita gente boa entre os dubladores, como Rachel McAdams, Mackenzie Foy, Jeff Bridges (piloto), Marion Corillard (Rosa) e Benicio Del Toro (cobra). A direção é de Mark Osborne, mesmo diretor de “Kung Fu Panda”.



Confira o trailer apertando o play!



A estréia da animação nos Estados Unidos está  prevista para outubro de 2015. E ainda não se sabe quando chegará aos cinemas brasileiros.
Quem mais ficou animado com essa novidade?!

A minha Prada pago eu


Pelo direito de conquistar minhas próprias coisas com o dinheiro, fruto do meu trabalho, sem precisar do cartão de um macho provedor (ou de qualquer outra pessoa)


Certa vez, meu chefe contou-me que na noite anterior havia jantado em um dos restaurantes mais chiques da cidade, onde se deparou com uma mesa de cinco ou seis mulheres sozinhas, que se divertiam felizes, com suas taças de pro seco e suas bolsas Prada, em plena noite de segunda-feira. Segundo ele, gastando todo aquele disparate com o cartão dos maridos.

A primeira pergunta que me veio foi: por que elas não poderiam estar gastando seu próprio dinheiro? Quem garante que elas não fossem gerentes da inúmeras multinacionais presentes na cidade? Por que, em pleno 2014, uma mulher com dinheiro, que se diverte com as amigas, precisa, necessariamente, ser julgada como aproveitadora?

Diante da minha pergunta, sua expressão foi de: “até parece! Se via que não que era o caso”. O que me irritou ainda mais. Essa falta de credibilidade que a figura feminina ainda representa, para algumas pessoas, é algo que me causa uma enorme revolta. Como se não fôssemos capazes de conquistar sucesso pessoal e profissional por nossos próprios méritos.

O machismo está presente em minha vida como o pão em minha mesa. Desde sempre. Do tratamento recebido em casa, se comparado aos meus irmãos, à diferença salarial ou à minha voz que não foi escutada durante uma reunião, mesmo que a ideia dada fosse sensacional e só considerada quando proposta, meia hora depois, por um colega homem e, por isso, mais merecedor de credibilidade. Viver isso todo dia é revoltante, embora até eu mesma tenha levado um certo tempo para entender que não, não é justo e não tem que ser assim. Tornar-me feminista foi então inevitável. E totalmente necessário.

Fato é que o machismo me cansa. O machismo me enoja. O machismo me deixa, cada vez mais, intolerante. A ponto de abrir uma discussão com o chefe. Alguém a quem devo respeito, por mais que suas colocações me façam querer vomitar.

Em Milão, na agencia de comunicação em que trabalhava, éramos muitas mulheres, lideradas por chefes extremamente machistas e costumávamos frisar que uma mulher, por mais que seja boa no que faça, precisa ser melhor que o homem, naquela mesma função, ao menos 10 vezes, para ter metade do reconhecimento que ele recebe. (Fora isso, “precisamos” fazer também muitas outras coisas, não destinadas a eles. Como ser mãe, amante, feminina, prendada, bonita, magra e gostosa).

Ao mesmo tempo, é o mais completo paradoxo pensar que em quase todas as empresas nas quais trabalhei, tive chefes mulheres. Inteligentes, independentes e competentes. Mas ainda assim pouco verossímeis. Mulheres que poderiam bancar sua própria Prada, seu próprio pro seco e, sobretudo, mulheres nas quais me espelho.

Uma delas costumava dizer que “não basta ser, tem que parecer”. Guardei muito bem essa frase. Não é uma questão de competir com o homem. Não é isso o feminismo. É uma questão apenas de ser respeitada, ouvida e não ser prejulgada. É uma questão de mostrar o nosso valor doa a quem doer e mostrar que podemos jantar “sozinhas”, apenas umas com as outras, no melhor restaurante da cidade sem que um macho patrocine.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

[Foto que conta história] #3 VicenzaOro

No inicinho da faculdade de jornalismo, eu achava que queria trabalhar no caderno policial. Mas bastaram algumas visitas à delegacia e outras subidas aos morros de BH para me lembrar que pisciano não consegue não sofrer com o sofrimento do outro. Ou seja, aquilo realmente não era pra mim e eu não podia continuar gastando metade do meu salário com a terapia. Daí me apaixonei pela Itália, pela fotografia, pela sociologia, pela antropologia e fui para Milão para juntar tudo isso num pacotinho só. Mas dai a vida me deu uma rasteira e me jogou com tudo na moda. Assim, de para quedas. Escolhendo por mim, sem que eu pudesse me dar conta, totalmente crua, que aquilo juntaria um monte de coisa que gosto, em um só trabalho. E por isso, a minha 3° foto da sessão [Foto que conta história] é de trabalho. Pois hoje o meu trabalho é ver e registrar coisas lindas pelo mundo, pra depois contar como foi. Com palavras e imagens. Continuo sem poder pagar a terapia, mas vejo coisas lindas o tempo todo. Foto feita em Vicenza, em 2014, em uma das maiores e mais importantes feiras de jóias do mundo, a Vicenzaoro.


Para ver mais sobre Vicenza, clique aqui.
Para ler mais sobre meu trabalho, clique aqui e aqui.

domingo, 7 de dezembro de 2014

Dica gordinha em BH: Est est est - Autentica Cucina Italiana

Domingo é dia de almoçar em família e comer bem. E já que a pessoa sai da Itália, mas a Itália não sai da pessoa, foi a vez de conhecer o restaurante italiano Est Est Est!
A cada mês, o local oferece um menu típico de cada região da Itália, além do menu à la carte com várias opções de pratos italianos.

Novembro foi o mês da Sardenha, região do meu avô, pela qual eu sou completamente apaixonada! Lógico então que, estando em Belo Horizonte nesse período, não poderia deixar de conferir.

O ambiente é super característico, como uma verdadeira cantina italiana: pequenas mesas de madeira, flores, parede de tijolinhos, muita luz natural, azulejos coloridos, pôsteres e mapas com informações sobre a Itália e até algumas televisões que transmitiam um documentário sobre a região mais linda do mundo: a Sardenha.

A minha escolha foi pelo menu sardo de peixe. Já o meu irmão pediu o de carne e aproveitei para experimentar fotografar também. E já que estávamos em família, dividi com minha mãe a entrada, o vinho e as sobremesas.

Menu Sardenha de peixe:

Primo piatto: Fregole con cozze e arselle (massa com vongole, mexilhões e tomates)
Secondo piatto: Spigola ala sarda (Robalo com molho de vinho branco, com abobrinha, tomate seco, azeitona preta, tomilho, alho e geléia de cebola roxa)
Sobremesa: Seadas (uma espécie de pastel, de massa fininha, recheado com ricota e coberto com mel)

Menu Sardenha de carne:

Primo piatto: Malloreddus ala campidanese (massa artesanal com molho de tomate, linguiça e queijo pecorino sardo)
Secondo piatto: Coietas (carne de boi recheada de toucinho, salsinha e cebola)

Vale a pena pedir:

Burrata (queijo branco, macio e cremoso por dentro, uma das maravilhas italianas que mais amo)
Salmone (um salmão vai sempre bem)
Tiramissu (doce italiano feito com queijo mascarpone e café, um dos meus doces preferidos)


A carta de vinhos do local é vasta. Inclusive, o restaurante possui uma enoteca em seu interior e garçons bem informados e corteses, que podem ajudar na escolha, caso a indecisão tome conta.
  
Preço:
Muita gente me disse que o preço do Est Est Est! já foi mais honesto e já foi mais economico comer por lá. O menu completo da região sai por 98 reais. Os vinhos variam bastante e as sobremesas saem por volta de 15 reais.

Vai lá: 
Est Est Est!
Avenida Getúlio Vargas, 107, Funcionários – Belo Horizonte.
Tel: 2526-5852.